ANAVILHANAS

Com um leque diversificado de atrações selvagens e humanas, este roteiro oferece encontro das águas, indios Tuiuka, mergulho com Botos Cor-de-Rosa e navegação por ecossistemas de água negra e barrenta, até o coração de Anavilhanas.

+ ver mais

FOTOS DO ROTEIRO

ANAVILHANAS

4 dias. Inclui Rio Solimões e Encontro das Águas.

Introdução
Com um leque diversificado de atrações selvagens e humanas, este roteiro oferece escalada em árvores gigantes, mergulho com Botos Cor-de-Rosa, indios Tuiuka, sobrevôo de Parasail e navegação por ecossistemas de água negra e barrenta, do Rio Solimões até o coração de Anavilhanas, no Rio Negro.

Particularidades da Região
Um dos maiores arquipélagos fluviais do mundo - Anavilhanas, é a principal atração do baixo Rio Negro, numa região abençoada pela natureza e protegida pelo ICMBio. Enquanto isso, no lago Janauary, a vida explode em profusão...

Meso-região
O Alto Amazonas, particularmente a região do Rio Negro, onde está o arquipélago de Anavilhanas e a cidade de Novo Airão, é uma região ideal para o ecoturismo. Diferentemente de outras regiões da Amazônia, o Rio Negro quase não tem mosquitos, devido ao inseticida natural presente em suas águas. Alem disso, é a porção mais selvagem e preservada da Amazonia.

Indicado
Pra quem dispõe de pouco tempo mas quer experimentar de tudo um pouco.

APUAÚ SELVAGEM

Onde cultura e valores são outros, crescem diferentes homens. E onde não há homens, crescem diferentes animais. Contendo muitas cachoeiras em meio a floresta, explore os santuários naturais deste paraíso ecológico.

+ ver mais

FOTOS DO ROTEIRO

APUAÚ SELVAGEM

4 dias. Inclui Arquipélago de Anavilhanas, Circuito de Cachoeiras Selvagens, e Novo Airão.

Introdução
A margem esquerda do baixo Rio Negro, no trecho compreendido entre os rios Apuaú, Jauaperi e Rio Branco, apresenta baixíssima densidade populacional, com abundante flora e fauna, sobretudo pela riqueza de sua morfologia. É também onde encontra-se a área de terra firme do Parque Nacional das Anavilhanas, além das mais belas e selvagens cachoeiras da região. Estudos demonstram que as ilhas Anavilhanas, cuja idade de formação estima-se ser de 18 mil anos atrás, foram formadas pelos sedimentos do Rio Branco despejados no Rio Negro. O Rio Branco é um rio muito dinâmico e cheio de vida. Seus sedimentos carregam muita matéria orgânica, alimento para pequenos peixes e plantas frutíferas, que por sua vez alimentam toda uma cadeia de grandes peixes, mamíferos aquáticos, aves, répteis e animais de terra firme. Sua flora também apresenta alta incidência de Samaumas, a maior árvore da Amazônia. Este roteiro, lançamento da Expedição Katerre para 2012, é a porta de entrada para quem procura experiências mais profundas na Amazônia, deixando-se levar pela sensação incomparável de ser um pontinho em meio a imensidão da floresta.

Particularidades da Região
A margem esquerda do baixo Rio Negro apresenta, em sua porção mais a sudeste, um sólido platô que favorece o aparecimento de muitas cachoeiras em meio a floresta, na região do Rio Apuaú.

Indicado
Pra quem procura aventura, lazer, cachoeiras e maior contato com a vida selvagem.

PARQUE DO JAÚ

No maior parque florestal de água doce do mundo ainda há trilhas, cachoeiras e igarapés turisticamente intactos. Atrações selvagens mesclam-se a cultura genuina dos caboclos que moram nas comunidades ao longo do rio. O roteiro inclui Anavilhanas.

+ ver mais

FOTOS DO ROTEIRO

PARQUE DO JAÚ

5 dias. Inclui Novo Airão e Arquipélago de Anavilhanas.

Introdução
O maior parque florestal de água doce do mundo ainda guarda enigmas a serem desvendados. Pela logística relativamente complicada de acesso, suas trilhas, cachoeiras e igarapés são turisticamente muito pouco explorados. Macacos, preguiças, botos e aves podem ser observados em pernoites na selva, ou do rio, próximo à hora do por-do-sol. Ariranhas também são comumente avistadas. Comunidades ribeirinhas, com genuinas manifestações culturais nortistas, dão o toque humano a uma região onde a natureza ainda comanda o espetáculo.

Particularidades da Região
O sistema aquático do Parque e composto por 3 grandes rios (Unini ao norte, Carabinani ao sul e Jaú ao centro) e uma infinidade de pequenos igarapés de águas negras. O nivel de água destes rios apresenta uma grande variaçao durante o ano. As matas encontradas nas margens são chamadas de Matas de Igapó, e são submetidas a periodos de 6 a 8 meses de inundação durante o ano. Esta é a tipica floresta tropical umida, com árvores que chegam a mais de 35 m de altura, como a Samaúma. Sua diversidade chega a 200 espécies por ha. O Parque encontra-se dentro do municipio de Novo Airão, de onde nossa expedição parte. Foi fundado em 1980, e hoje percebe-se claramente uma diferença da região se comparada as áreas não protegidas, no que tange a vida selvagem. Em 2003, o Parque Nacional do Jaú foi declarado pela UNESCO “Patrimônio Natural da Humanidade".

Indicado
Pra quem dispõe de pouco tempo mas procura uma vivencia mais completa.

Roteiros Exclusivos para os Santuários da Amazônia Ocidental

ANAVILHANAS-JAÚ

Para quem procura experiência ampla e abrangente do ecossistema da Amazônia este roteiro é ideal. Abrange dois Parques Nacionais e um dos espetáculos naturais mais conhecidos e bonitos da Amazônia que é o encontro do Rio negro e Solimões.

+ ver mais

FOTOS DO ROTEIRO

ANAVILHANAS-JAÚ

7 dias. Inclui Rio Solimões e Encontro das Águas

Introdução
Com um leque diversificado de atrações selvagens e humanas, este roteiro oferece escalada em árvores gigantes (osap), mergulho com Botos Cor-de-Rosa, índios Tuiuka, sobrevôo de Parasail (osap) e navegação por ecossistemas de água negra e barrenta, do Rio Solimões até o Parque Nacional de Anavilhanas, passando por todo o arquipélago de Anavilhanas, no Rio Negro. Em seu ponto mais distante, conheceremos o rio Jaú, onde está o maior parque florestal de água doce do mundo. Pela logística relativamente complicada de acesso, suas trilhas, cachoeiras e igarapés são turisticamente muito pouco explorados. Macacos, preguiças, botos, pacas e aves podem ser observados em pernoites na selva, ou do rio, próximo à hora do por-do-sol. Na estação da seca, as ariranhas são o destaque. Comunidades ribeirinhas, com genuínas manifestações culturais nortistas, dão o toque humano a uma região onde a natureza ainda comanda o espetáculo. O sistema aquático do Parque e composto por 3 grandes rios (Unini ao norte, Carabinani ao sul e Jaú ao centro) e uma infinidade de pequenos igarapés de águas negras. O nível de água destes rios apresenta uma grande variação durante o ano. As matas encontradas nas margens dos rios são chamadas de Matas de Igapó, e são submetidas a períodos de 6 a 8 meses de inundação durante o ano. As matas não alagadas são conhecidas como Floresta de Terra Firme. Esta é a típica floresta tropical úmida, com árvores que chegam a mais de 35 m de altura, como a Samaúma. Sua diversidade chega a 200 espécies por ha. (osap): opcional solicitado à parte.


Particularidades da Região
O baixo Rio Negro é numa região abençoada pela natureza e protegida pelo ICMBio, comportando Parques Nacionais, Estaduais, Reservas Extrativistas e Reservas de Desenvolvimento Sustentável. Diferentemente de outras regiões da Amazônia, o Rio Negro quase não tem mosquitos, devido ao inseticida natural presente em suas águas. Além disso, é a região mais selvagem e preservada da Amazônia.

JAUAPERI-XIXUAÚ

Se a Amazônia tem um coração, podemos afirmar que ele está no Rio Jauaperi. É em seu alto curso, na Reserva Xixuaú, que observamos animais raros e uma vegetação exuberante, onde cada curva de seus igarapés reserva-nos uma surpresa diferente.

+ ver mais

FOTOS DO ROTEIRO

JAUAPERI-XIXUAÚ

8 dias. Inclui Novo Airão, Anavilhanas e Parque Nacional do Jaú.

Introdução
Se a Amazônia tem um coração, podemos afirmar que ele está no Rio Jauaperi. E é em seu alto curso, na Reserva Xixuaú, que observamos animais raros e uma vegetação exuberante, onde cada curva de seus igarapés reserva-nos uma surpresa diferente.

Particularidades da Região
A despeito de praias que surgem à época da seca e vilarejos com artesanato primoroso, o rio Jauaperi é o lar de algumas das mais deslumbrantes espécies da fauna Amazônica - ariranhas, peixes-boi, jaburus, quatipurus, macacos arborícolas, imensos jacarés pretos, bandos de tucanos vermelhos, solitários gaviões malhados e escandalosas araras multi-coloridas. Bichos que compõem o visual e o sonoro deste inusitado santuário ecológico onde os próprios moradores decidiram preservar com fins ecoturisticos. Se seu maior desejo é contemplar a vida selvagem, então este é seu roteiro. Distante cerca de 500 km de Manaus, no estado de Roraima, fazendo fronteira com o território indígena Waimiri-Atroari. Navegando por igarapés de água cristalina, podemos observar Peixes-Boi em sua tranqüilidade coloquial. Macacos Guariba em sua gutural, impressionante cantoria. Lá, é proibido usar motor a explosão. O silêncio é cultivo do homem, e a natureza corre solta. Sua generosa bio-diversidade é fruto de 2 fatores: solo geomorfologicamente rico com ausência de caça predatória. Algumas espécies difíceis de serem observadas na bacia do Rio Negro, como Jaburus e macacos Cuxiús, são comumente avistadas na área.

Indicado
Pra quem procura vivência profunda e maior contato com a vida selvagem.

APUJAU

Vida selvagem e muitas cachoeiras são as principais atrações deste roteiro, que explora a fundo a margem esquerda do Rio Negro e seus principais afluentes. Porta de entrada para quem procura uma experiencia mais profunda e diferenciada de Amazônia.

+ ver mais

FOTOS DO ROTEIRO

APUJAU

7 dias. Inclui Arquipélago de Anavilhanas e Novo Airão.

Introdução
A margem esquerda do baixo Rio Negro, no trecho compreendido entre os rios Apuaú, Jauaperi e Rio Branco, apresenta
baixíssima densidade populacional, com abundante flora e fauna, sobretudo pela riqueza de sua morfologia. É também
onde encontra-se a área de terra firme do Parque Nacional das Anavilhanas, além das mais belas e selvagens
cachoeiras da região. Após explorarmos esta área, navegaremos até o maior parque florestal de água doce do mundo,
que ainda guarda enigmas a serem desvendados. Pela logística relativamente complicada de acesso, suas trilhas,
cachoeiras e igarapés são turisticamente muito pouco explorados. Macacos, preguiças, botos, jacarés e aves podem ser
observados em pernoites na selva, ou do rio, próximo à hora do por-do-sol. Na estação da seca, as ariranhas são o
destaque. Comunidades ribeirinhas, com genuínas manifestações culturais nortistas, dão o toque humano a uma região
onde a natureza ainda comanda o espetáculo. O sistema aquático do Parque e composto por 3 grandes rios (Unini ao
norte, Carabinani ao sul e Jaú ao centro) e uma infinidade de pequenos igarapés de águas negras. Este roteiro,
lançamento da Expedição Katerre para 2017, unifica os roteiros Apuaú Selvagem e Parque Nacional do Jaú, otimizando
a logística de navegação de maneira a que todas as atrações sejam contempladas num menor espaço temporal.

Indicado
Pra quem procura valor agregado em aventura, lazer, cachoeiras e um grande contato com a vida selvagem.

AbaAbrir